Guia de sobrevivência para a Crise Hídrica

agua2

Com o despertar tardio de setores da imprensa, parece que finalmente as pessoas começaram a embarcar (sic) na importância da crise hídrica, sobretudo em São Paulo. Embora as consequências de um colapso total ainda não estejam sendo devidamente tratados (falamos disso em no último artigo opinativo sobre o tema), pode ser reconfortante dar um espaço para a fé, e acreditar que podemos vencer essa situação calamitosa fazendo nossa parte e reduzindo drasticamente nosso consumo, via mudança de hábitos.

No atual momento, em decorrência então da avalanche de notícias publicizando a questão, podemos olhar agora para o lado prático das soluções. Inicialmente, parece óbvio que dar solução à oferta de água é o que mais precisamos. No entanto, para evitarmos o racionamento, ou pelo menos um sofrimento excessivo durante um rigor de 4 ou 5 dias sem água durante a semana, precisamos nos organizar para este enfrentamento.

Então, vamos ver como fazer?

Uma ação “mão na massa” exige, antes de tudo, planejamento. Para isso, precisamos saber quanto gastamos de água hoje para projetar quanto podemos gastar em breve, mudando nossos hábitos. Tão importante quanto planejamento, é engajar todas as pessoas da casa a adotarem as mesmas práticas. Lembre-se que precisamos estar prontos para vencer de 4 a 5 dias sem água nas torneiras, então além de ter um plano, é fazer com que todos que vivem na casa sigam o plano.

 

1) Organizando o pensamento coletivo

Precisamos nos preparar como se o preparo fosse para uma guerra (não é muito diferente, acredite). Numa guerra, não apenas o exército mais preparado é quem ganha; dependendo de como é a campanha, o acesso a suprimento de recursos é a vantagem decisiva. A primeira regra é: ajam coletivamente; nenhum soldado sozinho consegue fazer muita coisa (esqueça o Rambo), é na coletividade que um time ganha o campeonato. A segunda regra é: estoque-se! O estoque deve ser para suprir as necessidades essenciais e as demandas de água que assegurem a qualidade de vida com porções mínimas. A seguir veremos como usar melhor a água e reaproveita-la.

 

2) Equipando-se para a campanha

Precisamos estar adequadamente equipados para fazer as economias de água. Então, ao lado está uma foto de seus novos melhores amigos: baldes de grande capacidade, uma bacia grande e um balde flexível. Os baldes grandes têm a função de estocar água para consumo direto e de reuso. O balde flexível serve para coletar água do banho para reuso, enquanto que a bacia será muito útil na coleta de água de enxágues de louças e serviços que usem torneiras de pias.

crise hidrica 1

 

3) A batalha da pia de louças

Não subestimem a pia de louças. Principalmente para quem tem crianças em casa, que usam muitos utensílios sem tanto critério de louça que é limpa ou suja, a pia de louças é uma das grandes vilãs da água (ou amiga dos desperdício, se preferirem). Uma lavada de louças de um almoço ou jantar para quatro pessoas pode facilmente mandar para o ralo entre 20 e 30 litros de água potável. Como evitarmos essa perda? Em etapas:

a. Use guardanapos já usados na refeição para remover a maior parte da gordura de pratos, talheres, travessas e panelas;
b. Uma vez removida a gordura pesada, jogue uma chaleira de água quente sobre os utensílios – vai facilitar muito o trabalho e reduzir o cheiro de gordura nas mãos do soldado/mártir que estiver incumbido desta missão desagradável;
c. Lave a maior quantidade de utensílios com esponja e sabão neutro. Para sujeiras mais encrustadas use palha de aço ou até mesmo uma faquinha (para os cantos);
d. Agora, o momento principal: o enxágue. Coloque sua bacia dentro da pia, e enxágue a louça ali dentro: a água que era perdida vai ser coletada, e dali vai para o balde maior destinado ao reuso.

crise hidrica 2

 

4) A batalha do banho

Ah, o banho… onde relaxamos, repensamos nossos planos, elaboramos as coisas boas e não tão boas do dia… antigamente! Banho a partir de agora tem função de limpeza do corpo tão somente; sem essa mudança de pensamento, o plano afunda. Então, siga a estratégia:
a. Tome banho dentro de um balde semelhante ao da foto, onde caiba um adulto com segurança e sem risco de escorregões;
b. Molhe o corpo inteiro, e a seguir desligue o chuveiro;
c. Ensaboe-se por completo: cabelos, etc., etc.;
d. Por fim: enxágue-se! Depois é só jogar a água coletada em um dos baldes para reuso da água.

crise hidrica 3

5) A batalha da máquina de lavar roupas:

Essa inicialmente é a batalha mais fácil de ser vencida. Quase todas as máquinas usam para deságue uma mangueira direto no tanque de lavar roupas, então é só fazer a conexão e coletar a água para reuso. Mas, podemos sofisticar o trabalho:
a. Separe em um balde a água da primeira lavada – esta é a mais suja, então use-a para descargas no banheiro;
b. A seguir, quando começar o enxágue, separe esta água em outro balde – ela é muito mais limpa que a primeira, e pode ser reusada na própria máquina de lavar e outra partida de roupas;
c. Não esqueça! Use apenas sabão de coco ou neutro (são biodegradáveis), e evite de todas as formas os amaciantes, que contaminam a água e dificultam a sua reutilização.

crise hidrica 4

Como podemos observar, todo o esforço é para reduzir o desperdício de água boa reaproveitarmos a água consumida em outras necessidades. Agora, o que fazer com a água de reuso?

i) Vaso sanitário: cada descarga de água consome entre 6 e 10 litros d’água, a depender da tecnologia usada na caixa. Em casas com várias pessoas morando, o consumo cairá drasticamente;
ii) Máquina de lavar roupas: conforme dito antes, podemos reusar entre 20 e 30 litros d’água reaproveitada do enxágue da própria máquina em nova lavada;
iii) Uso externo: lave folhagens, calçadas, carro e áreas externas com água de reuso!
iv) Se sobrar: doe para seu vizinho. Ele poderá estar precisando e de quebra você melhora sua relação na rua ou no condomínio.

Mas, qual é o resultado desta operação toda?

Economia bastante significativa.

Em banhos normais/atuais, as estatísticas atuais dão que o consumo por “banho eficiente” de 5 minutos, segundo website da Sabesp, é de 45 litros – o normal está entre 130 e 150 litros, para banhos de 15 minutos ou mais. Os experimentos que fiz recentemente, usando balde e controlando a água usada no enxágue, conseguimos fazer com… 7 litros. Isso quer dizer economizar 85% de um volume que já era considerado muito bom. E dá para melhorar! Os 7 litros obviamente foram coletados e contabilizados para o reuso.

Na pia, conseguimos reaproveitar o volume de água de duas bacias de uma lavada. Cada bacia tem capacidade de 10 litros, então, por refeição, conseguimos reaproveitar cerca de 40 litros nesta “batalha” por dia (considerando que há louças a lavar no almoço e no jantar).

Na máquina de lavar roupa, a lavada é grande: 30 litros reaproveitados por máquina, em cada uso.

Somando (considerando que a casa tem 4 pessoas):

Banho
Consumo padrão atual 1: 45 X 4 = 180
Consumo realizado 2: 7 X 4 = 28 (15%)
Consumo evitado no banho (1 – 2): 152 litros/dia
Volume reaproveitado: 28 litros

Pia (lavando louça):
Consumo padrão atual (aproximado para volume de louças e utensílios de cozimento para consumo de 4 pessoas): 30 litros.
Consumo realizado: 25 litros (usando as sugestões que damos para remover gorduras)
Consumo evitado: 5 litros
Volume reaproveitado: 25 litros.

Máquina de lavar roupas:
Consumo padrão atual: 50 litros
Consumo realizado: 30 litros (reutilizando 20 litros do enxágue);
Consumo evitado: 20 litros;
Volume reaproveitado: 30 litros.

Finalmente:
Total de consumo de água evitado: 177 litros
Total de volume de água reaproveitado: 83 litros.

Agora vem o questionamento: se todos fizerem isso, evitamos o colapso de abastecimento de água?

Não sei ao certo. Mas nossas chances aumentam significativamente, já que estamos evitando usar mais do dobro do que estamos captando para reuso. Ambos os números são excelentes, mas estamos correndo contra o relógio agora. Cabe fazermos nossa parte.



Gostei bastante de conhecer a ferramenta e acho a proposta inovadora. Os mercados atuais tem uma grande demanda de ferramentas de TI e podem ser aplicadas para melhoria contínua de todos os setores. Parabéns a Home Carbon.

Pesquisadora, UNIFEI-MG, participante do Webinar sobre Como ferramentas inteligentes podem incrementar programas de Eficiência Energética e Hídrica

Uma boa ferramenta para apresentação e esclarecimento de temas relevantes a área de energia.

Engenheira, AES Eletropaulo, participante do Webinar sobre Como ferramentas inteligentes podem incrementar programas de Eficiência Energética e Hídrica

Acredito que destacar a importância de pequenas ações para buscar melhorias foram muito válidas, que é possível minimizar o comportamento em relação ao consumo excessivo com pequenas melhorias criando boas perspectivas e obtendo resultados satisfatórios.

Eletrocar - Centrais Elétricas de Carazinho S.A., participante do Webinar sobre Planejando ganhos de projetos comportamentais de Conservação de Energia e Água.

É importante ter ações como essas para a difusão das melhores práticas.

Gerente, Eletrobrás Alagoas, participante do Webinar sobre Planejando ganhos de projetos comportamentais de Conservação de Energia e Água.

Muito interessante. Um ótimo canal de comunicação para divulgação temas importantes como água e energia.

Educador de ESCO, participante do Webinar sobre Perdas comerciais (“Gatos”) de Energia Elétrica e Água.

Muito interessante a oportunidade de ter novas experiências na organização. Em 1 hora e meia de forma prática e sem custo.

Gestora comercial, CERTAJA Energia, participante do Webinar sobre Tarifa Social de Energia Elétrica e comportamento de consumo - Meios de adequar a necessidade (e desejo) de consumo à renda.

Conteúdo pertinente à nossa realidade. Oportunidade ímpar para aprimorarmos os nossos projetos. Concluímos que no outro lado do mundo, os problemas são semelhantes aos nossos.

Analista, Eletrobrás Rondônia, participante do Webinar sobre Tarifa Social de Energia Elétrica e comportamento necessidade (e desejo) de consumo à renda.

O conteúdo foi abordado de maneira muito interessante e rica em dados e experiência.

Engenheira de Estudos e Planejamento, CEMAR - Companhia Energética do Maranhão, participante do Webinar sobre Tarifa Social de Energia Elétrica e comportamento de consumo - Meios de adequar a necessidade (e desejo) de consumo à renda.

Ótimo tema, diretamente associado às melhorias que visamos para a conservação dos recursos naturais.  Ressalta abordagens de diferentes culturas e a aceitação de cada uma perante à situação apresentada. Excelente foco em eficiência energética.

Eletrocar - Centrais Elétricas de Carazinho S.A., participante do Webinar sobre Tarifa Social de Energia Elétrica e comportamento de consumo - Meios de adequar a necessidade (e desejo) de consumo à renda.

Importância da disseminação de conhecimentos, sem limite de distancia. Esperamos por mais seminários. Foi muito relevante e agregou valor aos nossos conhecimentos.

Analista, Eletrobrás Rondônia, participante do Webinar sobre Planejando ganhos de projetos comportamentais de Conservação de Energia e Água